10 de fev de 2017

Que paz?

Guardo minhas armas da alma
Vezes mostro minha face em um grito de horror
Vendo minha vida passar
Minhas armações

Beirando as mil e uma noites
Corpos que jogo aos montes
Com força fojro minha despreocupação
Assistindo ao fim e assistindo a mim

Qual o seu caso, qual a tua flor?
Qual seu amor e qual seu ardor
Se algum sou eu, meu bem
Eu estou
Só... vem!