29 de nov de 2014

Concreto

É metal e Rock And roll
Embaixo do concreto juntávamos o que restou, uma faísca flamejante de um sentimento ouro, ou o puro ouro de um sentimento que há muito se fazia errante, tudo do mesmo, a água que ao mesmo tempo é vinho, é também o óleo que mistura em meio a água, formando assim o que chamamos de nós, do puro suco em meio a fruto, aquele fruto que a semente fecundou no concreto.
Ainda com tudo inexplicável para ambos, assim agente sempre se vê, e sempre por partes se une e sendo sincero, é tudo reciproco até os termos de fúria mesmo quando soltos e poucos, tentaram filtrar, tentaram desunir e tentamos também, as moléculas de uma mesma existência.
Por falar em existência, os parenteses são muito grandes se tornando sempre a parede desse presídio que nos impede de viver e correr, sem medo de ter um a um, eu e você, você e eu naquela dança de noite, a dança dos lençóis onde a água e o óleo se mistura sem impurezas mundanas, e tudo isso o aço teceu em apenas segundos enquanto a chuva caía.

E sua pessoa corria e eu, eu apenas caminhava...