11 de jul de 2014

Sabe

Sabe nega... Estes tempos estão sendo estranhos sem você, uma lembrança a cada gesto, frase e lugar, sempre meus sorrisos se vai às lembranças...
Por falar em lembranças, as mesmas que me consomem cada vez mais, nos pequenos detalhes nos mais simples, deixam claro mais e mais a sua perfeição e como eu era ausente e infiel, tudo o que você tinha e um pouco mais você investiu no nosso amor, o que me sobra hoje um sorriso atravessado de mulheres estranhas tentando ter da minha pessoa o amor que tinha oculto dentro de mim reservado a você.
É difícil começar a pensar em um fim por isso o meu silencio, minha agonia que não podia te contar, era estranho estar enfiando uma faca no amor que tentava esconder, você me ensinou o que era amor, e eu te ensinei como a pior espécie de homem age, não gosto de pensar naquela historia triste de que tudo acaba sempre... Sempre acaba!