7 de mai de 2014

Deveras

Ando tão cansado, tão cansado mesmo,
te toda a forma, de toda a forma de pessoas
de tantos amores de tantos desamores,
de toda a forma conjunta de toda desunião,
de tanta vontade e até mesmo da falta de vontade,
de querer ser tudo e não ser nada,
de querer, ansiar, desejar e obter,
de não querer de forma alguma mas tendo a vontade de ter,
de querer falar sempre tudo e por fim não dizer nada,
de mim mesmo e até quando não sou eu mesmo,
de ser ou não ser...
digo tudo, não digo nada...
sempre fui assim aos que não me entendem,
sempre serei assim à aqueles que apenas fingem,
e sempre serei inteiro e completo á aquele que me entende por um segundo apenas,
pois esse sim merece meu descanso,
esse ser curioso que consegue me parar por uns instantes...
Que descanse também!