12 de fev de 2014

Trolls, Crânios, Asas e Correntes (Parte 1)

Trovões e a escura chuva da noite corria por todo o asfalto que brilhavam ao refletir as luzes dos postes de rua, e no final de uma rua se avistava uma pessoa correndo. De cabelos curtos negros e pele parda, Pedro corria para chegar a tempo no primeiro dia de aula à noite na sua escola, tendo de ser transferido bem no meio do ano era chuva de julho no ano de 2010.
Estava meio preocupado, pois havia começado em seu primeiro emprego e deixado seus amigos no outro período, não fazia a mínima de que pessoas estariam em seu novo ambiente, e ainda chega atrasado por sorte chegou a tempo de o portão não ser fechado, Sua surpresa foi avistar Andréia, que se conheciam há um tempo.
- Eai Andréia!

- O que você está fazendo aqui nesse período?
- ah...  Comecei a trabalhar.
- Está certo, pelo menos já sabe sua sala?
- Sim Acho que é 2ºJ!
- ah não acredito! Na minha sala.
- atirei pedra na cruz só pode...
E os risos tomavam conta do pátio da escola, e a intensa chuva noturna fazia um barulho leve ao tocar na folhas das arvores. Ao entrar na sala não gostou muito dos que se aglomeravam no centro, pois eram muito barulhentos, buscou um local ao lado de Andréia e por lá ficou, até que no intervalo Andréia sem querer derrubou sua coca-cola, sendo um rapaz muito animado e adora fazer piada, logo fez uma brincadeira onde uma linda garota morena de um sorriso contagiante e cabelos castanhos e meio bagunçados se aproximam, Isabel era seu nome, não demorou muito para brincarem e fazerem muita amizade com o passar dos dias, e Pedro logo se interessou, (como alguém não se interessaria por uma bela morena, não!) o tempo corria e eles cada vez mais próximos, não interessando o ambiente escuro de lições de matemática, história, apresentações e notas... uffa melhor parar ou todos iremos enlouquecer, Mas a simples questão que Pedro tinha em mente era... Namorado! Ele precisava saber, porém ele muito tímido, mas tomou coragem e por uma vez a deixou de lado...

- Bel, você namora?
-sim há 3 anos!
- há sim, claro...
O silêncio assolou sua cabeça, mas ela não era a única pessoa nesse mundo com quem ele simpatizaria, então ele deixou desprender uma paixão, (oras ele está muito certo que nunca quis evitar uma paixão), porém já era tarde o namorado já sabia de sua existência, Isabel falava muito de Pedro e isso o deixou em estado de alerta no fundo do seu consciente, com toda sua prevenção e ciúme (quem tem cú tem medo!) a obrigou a abandonar essa amizade, mas no fundo ela sabia que isso não fazia sentido e o ignorou em segredo dizendo apenas que fazia o pedido, não demorou muito para Pedro perceber as mudanças e o leve afastamento, o troll se afastava também, esse era seu apelido carinhoso dado por Isabel, ela era realmente apaixonada por seu companheiro e não se ligaria de forma alguma em Pedro.
O tempo passava e logo o ano chega ao fim, no ultimo dia de aula Isabel não aparece para se despedir... E isso ecoou fundo no seu peito como ser esquecido após milhares de acontecimentos e isso o tocou de uma forma que ele não sabia realmente a trataria diferente a partir de ali mesmo sem saber.
O novo ano chega Pedro já sem emprego, e todos de salas separadas isso realmente tornaria o contato mais difícil, já sabendo que não seria a mesma coisa. Breve eles se encontram e se sentem atualizados ela ainda namora, ele sem emprego e andava tudo de mal a pior, ainda eram bastante próximos Pedro possuía um colar de prata com uma palheta cinza, Bel se interessou loucamente por aquele acessório, mas Pedro também adorava que por sua vez ele mesmo o fez.
E chega um dia de stress e brincadeira sem graça. Eles conversam e de repente Pedro a deixa falando só ele não esperava que isso fosse uma das coisas que ela mais odiava dali então ela não falava mais com ele o ignorando como um imbecil, ele realmente não entendia o que se passava, e a cada dia que passava isso não mudava.
E assim os messes passaram, Pedro resolveu pensava em acabar com a frescura de ver uma das pessoas que ele mais amava passar por ele e nem ao menos trocar olhares, só sentia o frio na tua barriga do gélido gelo que assim ela continuava lhe dando, as paixões externas aconteciam e ate que um dia ela ficou próxima a sua pessoa no ponto de ônibus, Pedro se aproxima e logo entrega...
-Bel o que foi, o que está acontecendo?
- você não sabe o que você fez?
- não! Eu não sei!
- Ah dá licença mano!
E então Pedro se afasta...

Continua...