17 de fev de 2014

Café com Vitamina

Nesse instante fui acordado por um anjo, achei que tinha morrido, sabe se lá, mas demorou para minha pessoa criar coragem para levantar, rolei, virei, encolhi, tampei a luz com o lençol e mil e uma frescuras. Na verdade era preguiça de corrigir minha vida que havia ainda alguns "Nós", ou alguns "Agente".
Preferi levantar pois deitado não conseguiria sentir o teu abraço , será que por conta do mesmo irei enfrentar a vida, o dia, o mundo, a existência e o sistema.

Garotos incorrigíveis chutavam a bola no portão deixando assim pirados os cachorros, café com conversa é a pegada de hoje, acordei, entretanto o dia ainda estava com cara de aborto e isso desanima, me desanima mais que escrever crônica no papel e depois ter de digita-las, é horrível como café frio, como cerveja fervendo, como milk-shake mal batido, como ficar só, ou até mesmo como orgasmo segurado.
Francamente, você também me entende, eu já estou comemorando o vigésimo ano de sobrevivência, o que ela disse?. Maldito, sai daí, o que ela disse?, não acredito, há quanto tempo?, nossa eu me comporto assim?, mas não sou assim, sou um idiota pela simples escolha, por apenas querer. Quantas perguntas homem, abra seus olhos!. E acredite em hoje, por que é o que temos todo dia, as vezes nem o pão, enquanto houver vida terá o hoje, ele foi feito para se mudar a cada dia o que você chama de vida, mas quem sou eu?. Sou sexy, posso ser Michel Teló, Frejat, ser a luz de uns e o pesadelo de outros, o final o começo...
E da onde saiu tudo isso, eu irei para lá, lá habita o escuro, o eu, a silaba tônica da minha vida, tem o que eu comecei e tudo que eu não tive coragem de acabar, e o que acaba bem rapidinho que vi, mas não vi, são o rápido do final, o bico que fazemos com o "L" e a cara de panaca de qual ficamos quando vemos um Fim...