11 de jun de 2012

No Balanço

No balanço da despreocupação
Mas timidez é uma coisa que perdemos um com outro
No balanço percebi
As besteiras que disse e fiz,

No balanço com o meu mundo no meus braços
Percebi o quão sensível e frágil és
Se não for o balanço o que nos manterá unidos?

Não será a lua, que ilumina o escuro total
Não será o sol que ilumina as mais brancas rosas,
Mas sim a Vida florida, desiludida e perdida.
Não é hora de investir em astros

E sim em uma verdade concreta que nos convém
Ninguém olha pra mim duas vezes, mas para nós...
Estou perto do mundo novamente, ao teu lado.